17 de mar de 2014

Mais um caso de violência infantil



    Apesar de tanta inteligência para construir máquinas, o homem não consegui evoluir-se. É um absurdo, que em pleno século XXI temos que nos deparar com notícias de violência infantilestampadas nas capas dos jornais e ainda há pessoas que dizem: “mas você ainda não se acostumou”. Bem, eu não sei se vocês leitores se acostumaram em ler tragédias, porque eu não e olha que ainda tenho que escrevê-las. Mas, infelizmente tenho que por ofício noticiar que uma criança foi queimada por gastar R$ 1 sem permissão. Os pais foram presos no último dia 27/04, em Areias. A matéria for publicada no Vale Paraibano e completada na redação do Jornal Classe Líder através do Boletim de Ocorrência.

    O casal foi acusado de provocar queimaduras de segundo grau na mão do filho de 9 anos, porque a criança pegou dinheiro sem permissão.

    A prisão foi decretada pela juíza Carolina Conti Reedde, de Queluz, após o caso ser denunciado pelo Conselho Tulelar de Areias. O pai foi preso por crimede tortura e a mãe, por omissão de socorro.

    O crime ocorreu no último sábado, quando a criança teve a mão queimadapelo pai por castigo porque pegou R$ 20 sem permissão para jogar vídeo-game em uma lan-house perto da casa da família.

    Quando o menino chegou em casa, por volta das 12h30, seu pai, o pedreiro L.C., 38 anos, pegou uma caneca de alumínio vazia, colocou na chama do fogão e apertou contra a mão da vítima, causando ferimentos de segundo grau.

    Dos R$ 20, o garoto teria gasto apenas R$ 1 na lan-house. A mãe da criançateria presenciado a agressão, mas somente levou o filho ao hospital para receber atendimento médico no dia seguinte.

    O Conselho Tutelar teria descoberto a agressão pelos moradores, que ficaram indignados com a atitude do pedreiro, e denunciou o caso à Justiça de Queluz.
Com o mandado de prisão contra o casal, os policiais civis chegaram à casa dos suspeitos, na região central de Areias.

    O pedreiro foi preso e levado à cadeia de Queluz e sua mulher para a cadeia de Lavrinhas, onde devem aguardar pronunciamento da Justiça. O caso é investigado pela delegacia de Areias.

    Além do menino agredido, o casal tem mais dois filhos, um de 11 anos e outro de 2 anos. As crianças, segundo a polícia, estão sob os cuidados de uma tia, que mora na mesma cidade.

    O Conselho Tutelar de Areias e a juíza de Queluz não comentaram o assunto,alegando que o caso, como envolve um menor, corre em segredo de justiça.

    A população de Areias ficou chocada com a atitude do pai da criança. Desde domingo, quando a mãe levou o menino ao hospital e o caso acabou se tornando público, os moradores comentam a agressão.

    
    Fonte: http://www.classelider.com/noticia/?new_id=117. Jornalista Julieli Ferreira. 2014. Acesso em: 17 mar. 2013.

Nenhum comentário: