27 de mai de 2012

JOANNA MARANHÃO, mais uma mulher brasileira que não se resignou à violência.


JOANNA MARANHÃO, mais uma mulher brasileira que não se resignou à violência.


Joanna Maranhão
“Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida. Sertão que se alteia e abaixa... O mais difí­cil não é um ser bom e proceder honesto, dificultoso mesmo, é um saber definido o que quer, e ter o poder de ir até o rabo da palavra”.
Guimarães Rosa

Joana Maranhão 4

"Navegar é preciso; viver não é preciso".
Fernando Pessoa
“Em meu trabalho como terapeuta não existem mapas de navegação precisos. Meu ato de cuidar inclui poucas certezas. Todavia, trago uma convicção comigo:

Ainda que a experiência seja radicalmente terrível, as pessoas que não sucumbem ao desatino ou a nulidade são as que não permitiram que o violador se convertesse em dono de sua alma. Em seus pensamentos e sentimentos, essas pessoas brigaram bravamente contra a visão de que as coisas são assim, que a violência sempre existiu e existirá no mundo. Inconformadas, não aceitaram a violência como algo normal, natural... Não acreditaram que por alguma razão mereceram sofrer. Não se resignaram ao sofrimento!Mesmo que totalmente impotentes contra a violência do outro, estas pessoas mantiveram em alguma parte de sua mente um território livre da opressão. Não permitiram a colonização de sua mente!

joanna maranhao 2
Há então uma oportunidade pequena, mas decisiva, de salvaguardar nossa integridade, nossa natureza contra os excessos e as injustiças do mundo:

Manter dentro de nos mesmo territórios livres de ocupações arbitrárias. Há partes de nosso ser que não devem ser domesticadas. Elas não estão sujeitas a ajustes, porque isso significaria a morte de nossa identidade como pessoa” (Cida Alves, 2010) .


PAGU
“Mexo, remexo na inquisição
Só quem já morreu na fogueira
Sabe o que é ser carvão
Uh! Uh! Uh! Uh!...
Eu sou pau prá toda obra
Deus dá asas à minha cobra
Hum! Hum! Hum! Hum!
Minha força não é bruta
Não sou freira
Nem sou puta...”

“Porque nem!
Toda feiticeira é corcunda
Nem!
Toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho
Que muito homem
...”
Rita Lee

Fonte: Blog Educar Sem Violência. Cida Alves. 2012. 

Nenhum comentário: