28 de set de 2012

Violência na educação de crianças um passado que insiste em não passar.



Montaigne
“Em vez de convidar as crianças para as letras, na verdade não se mostra a elas mais do que crueldade e horror. Eliminem a violência e a força: nada há, em minha opinião, o que envileça tanto uma natureza bem-nascida. Se desejas que sinta temor pela vergonha e pelo castigo, não lhe habitues a isso” (Montaigne, 1533 - 1592).

Em pleno século XXI: professor no Egito “educa” crianças pequenas com castigos físicos.


Em pleno século XXI: escola no EUA usa eletrochoque como método aversivo em adolescente portador de necessidades especiais.

Vídeo, que mostra jovem amarrado, foi feito em 2002 mas só divulgado agora em 2012.


Americana processa escola que usa choque para tratar filho deficiente
Uma americana está processando a escola onde havia matriculado seu filho deficiente após descobrir que ele foi amarrado e recebeu choques elétricos. A prática foi documentada em vídeo em 2002, mas as imagens só foram divulgadas neste ano. Segundo veículos de imprensa dos Estados Unidos, Andre McCollins, então com 18 anos, também foi mantido em uma sala, sem alimentação, durante sete horas.
O jovem estava matriculado na Judge Rotenberg Center, uma escola para alunos com necessidades especiais de Canton, Massachusetts. A instituição defende o uso dos choques como aversivos, argumentando que são uma alternativa a medicamentos, isolamento ou expulsão em casos de distúrbios severos de comportamento. A terapia, porém, foi questionada pela ONU, segundo a rede de TV ABC.
Veja reportagem completa AQUI

Fonte: Blog Educar sem Violência. Cida Alves. 2012.

Nenhum comentário: