19 de nov de 2013

ONG da Holanda usa menina virtual de 10 anos para rastrear pedófilos

A ONG "Terre Des Hommes" já identificou mais de 500 suspeitos de pedofilia. Em quatro meses, menina foi procurada por mais de 20 mil homens, entre eles, dois brasileiros.


A missão na sala de controle é rastrear pedófilos em todo o mundo com uma arma inédita: uma garotinha virtual. Ela simula uma criança de apenas 10 anos, procurada por 20 mil homens em quatro meses. E dois deles são brasileiros, como mostra o correspondente Roberto Kovalick.
Amsterdã, Holanda. Em algum lugar desta cidade, está montada a armadilha para pegar pedófilos.
O endereço é secreto. Somos levados de carro até lá por um diretor da organização não-governamental que criou o sistema, com o compromisso de não mostrarmos o local por fora. Eles temem represálias de gangues que exploram crianças sexualmente. O local é uma sala escura.
É lá onde eles caçam pedófilos no mundo inteiro. E um integrante da ONG está fingindo que é uma menina de dez anos de idade.
Ele também não pode mostrar o rosto por segurança. O nome da criança virtual é Sweetie, "docinho" em português.
É um avatar, um personagem de computador criado pela organização "Terre Des Hommes" - terra dos homens. Ela tem características de uma criança das Filipinas, um país que sofre com a exploração sexual infantil.
O operador do computador mostra como funciona a armadilha. Primeiro, ele, fingindo ser Sweetie, entra em uma sala de bate-papo sobre sexo.
Ele se identifica na internet como uma menina filipina de dez anos e imediatamente os homens começam a aparecer. É difícil contar, são mais de 20 e a todo instante surge um novo. Um deles a chama de "sexy" e diz ter 28 anos de idade.
O operador nos mostra uma proposta ainda mais indecente: "Você está interessada em australianos com dinheiro?" A oferta é para que as crianças apareçam nuas em frente à câmera e o pagamento é feito com cartão de crédito ou transferência bancária.
Sweetie não faz isso. Mas o rosto dela aparece no computador do homem que fez a proposta, fazendo movimentos semelhantes aos de qualquer pessoa que esteja conversando na internet.
Assim, o homem do outro lado pensa mesmo que está em um bate papo com uma menina e se revela.

Em paredes estão as fotos de 500 suspeitos de pedofilia. Elas foram tiradas quando eles ligaram a câmera do computador para conversar com a menina virtual. Nós não podemos mostrar detalhes. Mas muitos deles estão nus, tiraram a roupa para aparecer para uma criança.
Em quatro meses, a menina foi procurada por 20 mil homens. A ONG conseguiu, além de tirar fotos, gravar vídeos e descobrir onde está o computador de mil suspeitos. A maioria é de americanos. E há dois brasileiros na lista.
O diretor, Albert Santbrink, disse que não pode dar detalhes dos dois, nem de que cidade são.
"Todas as informações, todos os detalhes sobre a identidade, o comportamento deles, está nas mãos da Interpol, a polícia internacional, para começar uma investigação oficial", diz ele.

A iniciativa da organização mostra que há muitos pedófilos à caça na internet. Por outro lado, prova que não é difícil pegá-los. Com a isca certa, eles caem direitinho na armadilha.

Nenhum comentário: