11 de ago de 2012

Tolerância ou intolerância, o que seus gestos ensinam às crianças?


Os gestos depõem as máscaras, pois revelam os reais sentimentos que as vezes foram ocultados por meio de belas e elaboradas palavras”
Cida Alves

O grito na educação




Os gestos, as ações alteram o real, por isso são sementes que fecundam civilidade ou barbárie” (Cida Alves)

Gestos sinceros que negam radicalmente à barbarie
Com essa postagem quero fazer a minha pequena homenagem a um grande e singelo homem. Um de meus heróis brasileiros, o senhor Hamilton dos Santos, um baiano de coração valente!

Motorista Hamilton Heroi de Salvador
O senhor Hamilton dos Santos me comoveu e comoveu todo o país com sua coragem absurda. No dia 02 de maio de 2003 esse humilde tratorista com lágrimas no olhos enfrentou uma decisão judicial e descumpriu a  injusta ordem que determinava que ele, como tratorista da prefeitura, derrubasse as casas pobres, no Bairro da Palestina, em Salvador, onde morava uma família com sete filhos. (veja mais AQUI).

Com homens e mulheres feitos da fibra e da coragem do senhor Hamilton dos Santos Auschwitz jamais seria possível!

Abaixo um fragmento do artigo “ANTÍGONA – A PULSÃO DE MORTE E O DESEJO PURO DE NÃO CEDER” de autoria de Evair Aparecida Marques que narra a cena em que o senhor Hamilton dos Santos profundamento compadecido com a situação dos moradores do Bairro da Palestina descumpri a ordem judicial.

“A imagem é impressionante. Ao vivo, diante da turba agitada e da lei, ele resiste (“sem temor, nem piedade”). A ordem é dada: “Cumpra-se a lei, derrube a casa do invasor!” A mãe desesperada chora diante de todos. Grande agitação popular. A câmera da TV focaliza o tratorista. A escavadeira com a “bocarra” aberta avança em direção à casa, para “engolir” tudo: o muro, a casa, o sonho da casa própria. Ele para. Desce do trator. O oficial de justiça o acossa: “Você sabe que esta obstruindo a ação da justiça? Sabe que pode ser preso por isso?”Ele vacila (no “entre-dois”). Sobe de novo no trator. A máquina mortífera avança até o limite do muro. A câmera mostra o rosto do proprietário do terreno, no seu carro, à espera do cumprimento da lei. Comoção. A população se agita, a mãe grita. A TV focaliza de novo o rosto do motorista. Um silêncio pesado percorre a cena. Uma lágrima desce pelo seu rosto ... (“Até”). Ele para. Desce do trator e entrega as chaves da máquina ao homem da lei” (MARQUES).

Veja mais notícias sobre o tratorista Hamilton dos Santos nos links abaixo:


A imagem do “grito” foi enviada por Carollina Amorin, professora de Língua Inglesa, em 05 de agosto de 2012.

Fonte: Blog Educar sem Violência. Cida Alves. 2012.

Nenhum comentário: