13 de set de 2013

COMPORTAMENTO: 8 razões para não bater no seu filho

Especialistas mostram quais as consequências de usar a violência para educar as crianças


Redação Crescer

 Shutterstock
A CRESCER acredita que é possível educar sem bater. Mas qual o problema, afinal, em dar uma palmadinha vez ou outra para impor limite? Convidamos diversos especialistas para responder a essa questão:
- O professor do instituto de psicologia da USP, Lino de Macedo afirma que a palmada é um argumento de força e, por isso, não é válido;
- Para Neide Noffs, professora da Faculdade de Educação da PUC-SP, o diálogo é a melhor forma de educar;
Ilan Brenman, educador, psicólogo e autor de dezenas de livros pra crianças, também acredita mais no poder da palavra do que da palmada;
- A deputada Maria do Rosário (PT-RS), coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente no Congresso, bater envolve uma relação de desigualdade;
- Para o psiquiatra forense Guido Palomba, os pais precisam dar o exemplo aos filhos de que a violência não é o caminho;
Cacilda Paranhos, educadora e membro do Lacri, acredita que a criança que apanha pode repetir o ato com os amigos fora de casa;
Rachel Niskier, coordenadora de campanhas da Sociedade Brasileira de Pediatria, diz que as palmadas provocam medo e raiva na criança;
- A coordenadora da rede Não Bata. Eduque., Márcia Oliveira, também acredita que para educar são necessários bons exemplos.
Fonte: Revista Crescer. COMPORTAMENTO: 8 razões para não bater no seu filho. 2013. Disponível em: http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8590029524838754637#editor/target=post;postID=815152352419846402. Acesso em: 13 set. 2013.

Nenhum comentário: