4 de dez de 2013

‘Estou muito arrependida’, diz mãe autuada por torturar o filho de 8 anos


A cozinheira, na delegacia
A cozinheira, na delegacia Foto: Giulliane Viêgas / Extra
Giulliane Viêgas

Presa desde a noite desta segunda-feira na 32ª DP (Jacarepaguá) sob a acusação de torturar o filho de 8 anos, uma cozinheira de 36 disse, na manhã desta terça, estar arrependida do crime. Ela não chegou a agredir o menino, mas autorizou que o padrasto o fizesse. O homem, de 37 anos, também está preso. O casal foi autuado por tortura - crime inafiançável, cuja pena pode chegar a oito anos - já teve a prisão temporária decretada pela Justiça.
A cozinheira alegou que deixou que o filho fosse espancado com o auxílio de uma sandália e um cinto porque não sabia como manter o menino em casa. Ela alega que o garoto sai de casa, em Rio das Pedras, Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, para praticar pequenos furtos.
- Pedi para ele bater porque me senti perdida por não saber mais o que fazer para educar meu filho. Mas chegou uma hora em que vi que ele passava dos limites e pedi para parar de bater. Mas ele estava descontrolado e não parou. Me dói demais lembrar do que aconteceu. Estou muito arrependida - contou ela, chorando muito.
O rosto do menino, marcado pelos machucados
O rosto do menino, marcado pelos machucados Foto: Giulliane Viêgas / Extra
A mulher disse que tem outros cinco filhos e nunca bateu em nenhum deles.
Já o padrasto não demonstra qualquer arrependimento. Segundo ele, o garoto vinha contando mentiras e, na segunda-feira, “foi a gota d´água”.
- Bati porque ele estava mentindo e fazendo pequenos furtos. A mãe estava cansada de pedir para ele parar e nada - contou o vidraceiro.
O casal foi preso depois que a criança, muito machucada, foi até a casa do pai, que mora perto. Lá, o garoto - com o rosto muito machucado - contou o que acontecera. O pai, então, chamou policiais militares do 18º BPM (Jacarepaguá), que prenderam mãe e padrasto em flagrante.
- Foi uma covardia o que fizeram com meu filho. Vou tentar conseguir a guarda dele - disse o pai do menino.




Nenhum comentário: