3 de jul de 2012

Análise crítica do Filme Carregadoras de Sonhos


Carregadoras de Sonhos


Ficha Técnica

Título Original: Carregadoras de Sonhos
Ano de produção: 2009/2010
Gênero: Documentário
Duração: 65 min.
Direção, roteiro e montagem: Deivison Fiuza
Produção: Sindicato dos Professores de Sergipe (SINTESE)
Co-produção: WG Produções
Direção de produção: Marcos Leite
Música: Milton Goulart
Fotografia: Álvaro Rocha
Câmeras: Luiz Costa Junior e João Franco
Edição de imagem: José Miranda
Efeitos visuais e finalização: Paulo Eduardo
Sonoplastia: Demóstenes Varjão
 Assistentes: Romário Silva e Valdeliz Filho
Motorista: José de Oliveira

                                                 Análise crítica
                                                                                                                                                                  Jorge Silva Sousa*

O Sindicato dos Professores de Sergipe (SINTESE) em seu XII Congresso Estadual dos Trabalhadores em Educação realizou uma pesquisa qualitativa com todos os profissionais presentes. Esta pesquisa teve como objetivo traçar o perfil das condições de trabalho dos professores do Estado. A partir dos resultados obtidos foi realizada a filmagem do longa-metragem, para mostrar à população de Sergipe e do Brasil as condições da Educação no estado.
O filme Carregadoras de Sonhos é um curta-metragem do diretor Deivison Fiuza, ele mistura realismo e poesia e tem como tema principal a educação. O filme mostra um dia de trabalho de quatro professoras do magistério e, além de abordar aspectos relacionados à educação, também apresenta uma análise do sistema educacional feito pelas próprias professoras.
Então o filme mostra a rotina de quatro professoras guerreiras em busca de realizações de seus sonhos que não é só delas, mas sim da sociedade, um sonho de Educação Pública de qualidade. Mas, todos os dias elas enfrentam imensas dificuldades tanto no deslocamento quanto nas condições físicas, didáticas, pedagógicas das escolas.
E sem dúvida para mudar essa realidade é necessário mais investimento do poder público, o livro “Bicho de sete cabeças: para entender o financiamento da educação brasileira”, dos autores Ednir Madza e Marcos Bassi, aborda questões relevantes sobre o assunto. Os tributos são arrecadados pelo governo federal, estadual e municipal. São usados para colocar “em prática políticas publicas nas áreas da educação, saúde, trabalho e emprego e outras que, se alcançassem a todos e todas, diminuindo a distância entre “os que têm” e “os que não têm” (p. 26). Eles são distribuídos pelas três esferas de governo (federal, estadual e municipal). Sendo estabelecido pela Constituição Federal, que a “União deve usar 18% e os estados e municípios 25%, no mínimo da receita resultado dos impostos na manutenção e no desenvolvimento do ensino” (p. 54).
O Sergipe é o menor estado do Brasil, e é o que arrecada a maior quantidade do Produto Interno Bruto (PIB) chagando até 25%.  Diante do contexto do filme e do estudo de diversos textos relacionado ao tema financiamento fico me perguntando a onde está sendo investido o dinheiro arrecadado dos tributos que é destinado a educação? Pois “metade dos alunos ainda não termina a quarta série sem saber ler e escrever; 70% das crianças de 0 e 3 anos não têm direito à creches; os espaços culturais, esportivos e de lazer são raridade” (MADZA e BASSI, 2009, p. 30-31). E como vimos no filme e na realidade falta até mesmo escola, as professoras ensinam seus alunos em espaços improvisados. Com poucos recursos didáticos, péssima infra-estrutura, falta apoio da equipe pedagógica. Como relata uma das educadoras, que quando acontece caso de estupro pouco poder fazer diante desse contexto, pois não tem com quem pedir ajuda. E com certeza, essa é a realidade dessas educadoras e de muitas outras professoras no Brasil.
Portanto, cabem a nós cidadãs questionamentos e fiscalizar o dinheiro arrecadado em forma de tributo para ver se está sendo investido em melhorias para a educação. Pelo que vimos no filme a desigualdade e mal administração dos recursos da educação ainda é grande.  
___________________________________
*Acadêmico do 4º Ano do Curso de Pedagogia, da Universidade Estadual de Goiás, unidade universitária de Inhumas.

Referências

CARREGADORAS de sonhos. Direção e roteiro: Deivison Fiuza.   Produção: Sindicato dos Professores de Sergipe (SINTESE).  Sergipe. 2009/2010. 1 DVD (65 min.), color., dublado.

MADZA, Ednir. BASSI, Marcos. Origem da educação: a tributação desigual e injustiça da renda e da riqueza. In: _______Bicho de sete cabeças: para entender o financiamento da educação brasileira.  São Paulo: Peirópolis. Ação Educativa, 2009, p. 15-34.

______. A legislação relativa à educação e ao seu financiamento. In: _______Bicho de sete cabeças: para entender o financiamento da educação brasileira.  São Paulo: Peirópolis. Ação Educativa, 2009, p. 37-68.

Nenhum comentário: